Sociable

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Quando desenham o nosso Deus...

No sábado passado escutei uma ilustração muito interessante.

Uma das atividades mais conhecidas e desenvolvidas na Psicologia da Educação é aquela na qual, em uma folha de papel, desenhamos a nós mesmos. Em seguida, trocamos de folha com a pessoa ao lado e desenhamos essa pessoa no no verso do papel. Depois destrocamos as folhas e contemplamos os resultados.

Essa atividade é bastante útil para colocar a imagem que temos de nós mesmos em contraste com aquilo que transmitimos e é percebido pelas pessoas ao nosso redor. Não é preciso dizer aqui quantas são as surpresas que temos quando fazemos essa atividade.

Imagine agora se, da mesma forma, pedíssemos que as pessoas ao nosso redor desenhassem o Deus que nós servimos. Ou seja, que elas desenhassem a imagem que transmitimos do nosso Deus através do nosso testemunho diário. Tenho certeza que seria muito diferente da imagem que nós mesmo temos de Deus, em nosso interior. Pense agora por alguns minutos como seria desenhado o seu Deus. Será que esse desenho não teria muitos traços de séries de TV, futebol, da sua namorada? Ou, até mesmo, de símbolos ligados à religiosidade, que bem sabemos, não podem salvar...

Temos que nos preocupar, não apenas em "estudar Deus", para conhecê-lo em nosso interior. Quando realmente o conhecemos passamos a "viver Deus". Paulo nos orienta em 1 Coríntios 11:1 ¶ "Sede meus imitadores, como também eu de Cristo".

Da mesma forma que "Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino" (1 Coríntios 13:11), quando renunciamos as coisas do mundo e passamos a viver como cristãos nosso testemunho deve renunciar as atitudes do mundo.

Muitas vezes temos uma imagem convicta de Deus em nosso interior, mas acabamos transmitindo uma imagem destorcida pelo nosso testemunho. Aquilo que colocamos como prioritário em nossas vidas estará diretamente associado com o nosso Deus. Portanto, cuidado com seu testemunho! Não queira que desenhem seu Deus como um Deus palhaço! Isso os falsos mestres já fazem aos montes por aí.

Nenhum comentário: