Sociable

terça-feira, 25 de maio de 2010

Personagens - Clemente e Orígenes (baseado no livro de B. L. Shelley)

Já por volta do século II e III, a igreja cristã primitiva passava da categoria de uma seita judaica menor, para o status de uma importante "filosofia" no Império Romano. Nesse momento, procurou-se desenvolver uma base racional para a pregação cristã através da associação desta com a literatura pagã e a filosofia. Foi um período de incontáveis batalhas, pois muitos eram aqueles que lançavam mão da pregação cristã para fundamentar a filosofia pagã. Nesse período surgiram muitas falsas doutrinas.

Não entraremos em muitos detalhes (ao menos por hora), mas dentre essas falsas doutrinas, cabe destacar o gnosticismo, um evangelho segundo "linhas espirituais" associado à astrologia e às religiões pagãs da Grécia.
Obs. Nem tudo naquela época estava ligado ao racionalismo: O montanismo foi outra ramificação herética do cristianismo, mais ligada a uma super-espiritualidade. Montano profetizava na região da Asia Menor ao lado de outras duas profetizas em nome do "Espirito Santo". Suas preleções passaram a atrair multidões, que ficavam apreensivas ao ouvirem ao profeta, que falava em um estado de êxtase.
É assustadora a quantidade de seitas exotéricas que derivaram do gnosticismo, do montanismo e outros "ismos" dessa época...

Mas vamos com calma, que nem tudo relacionado à filosofia era heresia. Dada a notável posição que o cristianismo assumia no Império, era necessário o desenvolvimento de uma forma pela qual o evangelho chagasse aos grandes intelectuais do mundo, e assim, aos grandes senhores. (Nesse processo algumas batalhas foram "perdidas". Tertuliano, por exemplo, apesar de ter alertado para os perigos da associação entre cristianismo e filosofia destacando que essa seria a causa e origem das heresias foi atraído para o caminho do montanismo, após se indispor com a igreja). A chamada Escola Catequética de Alexandria foi uma das mais notáveis referências da conciliação da filosofia com a cristianismo, visando unicamente a manutenção e expansão da fé cristã. Clemente e Orígenes foram seus diretores.

Clemente é considerado o "primeiro estudioso cristão". Combateu o gnóstico Valentino, estabelecendo um programa para a escola catequética voltada a esse objetivo. Foi um dos grandes colaboradores para o desenvolvimento da hermenêutica e sua introdução na interpretação dos textos sagrados.

Orígenes, sucessor de Clemente, foi considerado um teólogo neoplatônico e patrístico. Influenciado por Platão, Orígenes desenvolveu pensamentos acerca da Santíssima Trindade e sobre o fato de nos tornarmos filhos de Deus por adoção enquanto Jesus é Filho por geração, por natureza. Orígenes, no entanto acreditava que o Filho estava subordinado ao Pai, apesar de terem a mesma essência. Orígenes fala também de uma virgindade perpétua de Maria. Supostamente, esse ponto era quase unânime na antiguidade. Finalmente, entre outras muitas doutrinas, Orígenes afirma que a prática do batismo de recém nascidos também teria origem nos ensinamentos dos apóstolos.

Fica evidente que nem tudo o que era postulado por esses dois grandes pensadores representa a pura verdade bíblica. No entanto, é inegável a contribuição desses homens para o desenvolvimento da teologia nos círculos intelectuais, nos séculos seguintes.

Nenhum comentário: